quinta-feira, 2 de outubro de 2008

1992/93 - Rio Ave 1 - Benfica 3



Dezasseis-avos da Taça de Portugal. O Rio Ave, equipa que então militava na Liga de Honra - embora contasse nas suas fileiras com elementos relevantes do futebol luso na década de 90, como Barroso, Miguel Barros ou o futuro treinador Carlos Brito - recebia o Benfica. A festa da Taça com o estádio cheio para ver o jogo. O Benfica não arriscou e pôs quase todos os titulares e o ter jogado pelo seguro produziu frutos: três golos marcados por Kulkov, Hélder e Vítor Paneira. Do outro lado, Gama faria o golo de honra numa jogada individual que combina força e técnica e onde Paulo Madeira e Fernando Mendes fazem quase o papel de figurantes.

No fim da peça, Jesualdo Ferreira comenta o jogo de forma educada e tranquila. Há 15 anos era treinador-adjunto de Toni, algo que fez durante vários anos e em mais que um clube. O estilo enraizimado que hoje parece assumir em conferências de imprensa veio com o tempo.

2 comentários:

Nelson Silva disse...

É pá, eu fui ver ao estádio este jogo! Era puto, mas lembro-me bem do estádio completamente cheio, e numa altura em que só faltava saber quanto é que o Benfica ia dar...
Não tenho bem a certeza se foi neste encontro - mas julgo q sim. O Silvino fez um arrancada até ao meio campo, passando por vários jogadores do Rio Ave! O JVP saiu do banco e foi a completa loucura dos adeptos... Enfim, velhas histórias.

Nelson Silva disse...

Uma correcçao: era o Neno e não o Silvino, como facilmente se percebe.
Dá também para notar duas coisas: o grande Gama e o "talento" que já na época demonstravam o Paulo Madeira e o Fernando Mendes...